Nesta página:
elektronische-schutzschalter_2000x2000px.jpg

Disjuntor Eletrônico

A alta densidade de canais combinada com muitos diagnósticos tornam o disjuntor eletrônico a solução ideal quando o foco é segurança e proteção dos seus equipamentos.

Os Disjuntores Eletrônicos têm muito a oferecer:

  • Eles oferecem a proteção contra sobrecarga e curtos-circuitos.
  • Além disso, eles permitem a ativação de cargas de alta capacidade de 50.000 microfarad e superior – sem necessidade de aumentar a configuração da corrente nominal.
  • Modelos com dois, quatro e oito canais com classificações de corrente de 0,5 a 12 A oferecem a você a flexibilidade desejada para configurar a corrente nominal de acordo com suas aplicações individuais.
  • Com uma largura máxima de 45 mm (1.772 polegadas), os Disjuntores Eletrônicos da WAGO apresentam alta densidade de canal, para economizar espaço no painel de controle.
  • Alguns dispositivos também estão disponíveis com limitação de corrente ativa, evitando que a unidade de alimentação de energia sofra uma sobrecarga durante um curto-circuito.
  • Com a possibilidade de comunicação através do protocolo IO-Link ou por Manchester (trem de pulso) a comunicação com controladores de mercado se torna muito fácil e rápida.

Disjuntor Eletrônico de canal único

Com uma largura de apenas 6 mm (0,236 polegadas), esses novos disjuntores de circuito são os menores Disjuntores Eletrônicos disponíveis atualmente no mercado. Eles são aproximadamente 66% menores do que os disjuntores miniatura, para economizar ainda mais espaço, especialmente, quando usados em painéis de controle. Esses Disjuntores Eletrônicos permitem a ativação de cargas de alta capacidade, maiores que 50.000 microfarads sem a necessidade de mais ações ou mudança da corrente nominal, ajudando a reduzir acionamentos falsos devido a correntes de partida.


Vantagens

  • 24 VCC em seis versões para correntes classificadas de 1 a 8 A
  • Com dispositivos codificados com cores de acordo com a corrente nominal
  • Uma versão extremanente fina com apenas 6mm
  • Capacidade de ativação: >50.000 µF
  • Ampla gama de faixas de temperaturas operacionais: −25 … +70°C (−13 … +158°F)
  • Redefinição, ligar/desligar diretamente no módulo ou remotamente por meio do sinal de entrada digital
  • A saída do sinal disparada também pode ser combinada como um sinal de grupo para até 30 dispositivos
  • Aprovações: CE, UL 61010, UL 2367

Disjuntores Eletrônicos com 2, 4 e 8 canais

Os Disjuntores Eletrônicos da WAGO oferecem a proteção confiável com uma relação superior de preço/desempenho. Eles oferecem recursos de destaque e a proteção confiável contra sobrecarga e curtos-circuitos. Com uma largura máxima de 45 mm (1.772 polegadas), os Disjuntores Eletrônicos da WAGO apresentam alta densidade de canal, para economizar espaço no painel de controle.


Vantagens

  • Modelos de disjuntores eletrônicos para proteção com dois, quatro e oito canais com correntes ajustáveis de 0,5 a 12A
  • Alta capacidade de ativação: >50.000 µF
  • Capacidade de comunicação: monitoramento e redefinição remotos
  • Limitação de corrente ativa opcional
  • Possibilidade de comunicação através do protocolo IO-Link ou por Manchester (trem de pulso) a comunicação com controladores de mercado se torna muito fácil e rápida
  • Aprovações: CE, UL 60950, UL 2367, GL

Seus benefícios com os Disjuntores Eletrônicos WAGO

1

Os mais compactos da indústria
A largura de apenas 6mm (0,23 polegadas) maximiza o espaço no painel.

2

Identificação
A identificação do dispositivo fica fácil e rápida através da Marking Strip ou WBM.

3

Status do display intuitivo
Cada canal de saída possui botões iluminados para indicação do status operacional, ativação/desativação e curto-circuíto.

4

Característica em sobrecarga/curto-circuito
Desarme confiável, rápido e preciso em caso de sobrecarga ou curto circuito.

5

Diferencia visualmente os modelos de canal único
Dispositivos codificados com cores de acordo com a corrente desejada para proteção.

6

Fiação rápida e simples
Sinal de saída e reset total interligável em ponte para até 30 dispositivos.

7

Muitas opções de configurações
Configuração de corrente nominal opcional de 1 a 8A e sete opções de configurações diferentes para a saída digital.

8

Chave rotativa
A corrente nominal pode ser ajustada em seis etapas para cada canal individualmente; tampa transparente e lacrável.

9

Comunicação
Comunicação rápida e confiável via protocolo IO-Link, contato de sinal, sinal livre de potencial ou protocolo Manchester.

10

Economize espaço no painel de controle:
Até 8 canais no módulo de apenas 42mm (1.653 polegadas) de largura.

Os mais compactos da indústria
A largura de apenas 6mm (0,23 polegadas) maximiza o espaço no painel.

Identificação
A identificação do dispositivo fica fácil e rápida através da Marking Strip ou WBM.

Status do display intuitivo
Cada canal de saída possui botões iluminados para indicação do status operacional, ativação/desativação e curto-circuíto.

Característica em sobrecarga/curto-circuito
Desarme confiável, rápido e preciso em caso de sobrecarga ou curto circuito.

Diferencia visualmente os modelos de canal único
Dispositivos codificados com cores de acordo com a corrente desejada para proteção.

Fiação rápida e simples
Sinal de saída e reset total interligável em ponte para até 30 dispositivos.

Muitas opções de configurações
Configuração de corrente nominal opcional de 1 a 8A e sete opções de configurações diferentes para a saída digital.

Chave rotativa
A corrente nominal pode ser ajustada em seis etapas para cada canal individualmente; tampa transparente e lacrável.

Comunicação
Comunicação rápida e confiável via protocolo IO-Link, contato de sinal, sinal livre de potencial ou protocolo Manchester.

Economize espaço no painel de controle:
Até 8 canais no módulo de apenas 42mm (1.653 polegadas) de largura.

Por que é preciso usar uma proteção de fusível secundária?

grafik-sekundaerseitige-absicherung_2000x2000px.jpg

Por que é preciso usar uma proteção de fusível secundária?

No lado secundário, as fontes de alimentação fornecerem tensão CC para controlar as cargas do circuito (por exemplo, controladores, painéis de operação, displays e relés auxiliares). Esse circuito de controle também requer proteção na fiação e se a carga não tiver um dispositivo de proteção próprio, necessita de um dispositivo de proteção. Além disso, a Diretiva de Máquina EN 60204 exige a detecção de falhas perigosas à terra nos circuitos de controle e seu desligamento em cinco segundos.

A proteção de sobrecarga para as fontes de alimentação monofásicas reage muito rapidamente às sobrecorrentes no lado da saída. A proteção seletiva para os caminhos individuais da corrente no circuito secundário via fusíveis ou disjuntores convencionais é muitas vezes ineficaz se a fonte de alimentação não puder fornecer uma breve sobrecorrente.

Que tipos de proteção de fusíveis existem no mercado?

grafik-thermisch_2000x2000px.jpg

Térmica

Possíveis aplicações:

  • Fusíveis de alta tensão, alta potência e DP
  • Altas sobrecorrentes necessárias para o disparo

Explicação:

No exemplo: sobrecorrente de dez vezes (relacionada à corrente nominal do fusível): disparo na faixa de 30 ms (melhor caso) ou 200 ms (pior caso). Somente sobrecorrente dupla: disparo no intervalo de 2 s (melhor caso) ou> 100 s (no pior caso).

grafik-thermisch-und-magnetisch_2000x2000px.jpg

Térmica e magnética

Possíveis aplicações:

  • Encontrada em disjuntores ou chaves de proteção de motor
  • Altas sobrecorrentes necessárias para manobras rápidas

Explicação:

No exemplo: sobrecorrente de 10 a 12 vezes a corrente nominal para Disjuntores do tipo B em operação CA, fator de segurança adicional; 1,2 ou 1,5. Assim no pior cenário, uma corrente de trip de 15 vezes a corrente nominal é necessária.

grafik-elektronisch_2000x2000px.jpg

Eletrônico

Possíveis aplicações:

  • Opções de configuração para corrente de desarme
  • Reação em um curto espaço de tempo - mesmo com sobrecorrentes baixas
  • Proteção cabos longos e pequenas seções transversais possíveis

Explicação:

Os Disjuntores Eletrônicos garantem a proteção confiável, mesmo em sobrecorrentes baixas e com comprimentos de cabo longos.

Como um Disjuntor Eletrônico funciona?

grafik-funktion_2000x2000px.jpg

Como um disjuntor eletrônico funciona?

O Disjuntor Eletrônico verifica se a corrente de saída é maior do que a corrente nominal. Assim que a corrente de saída excede a corrente nominal, a saída é desligada eletronicamente por uma chave semicondutora. O tempo de trip depende da magnitude da sobrecorrente. A medição da corrente de saída, processamento, o cálculo do tempo de disparo e a atuação da chave semicondutora são realizadas por um microprocessador que monitora um ou mais canais de saída. Os tempos de disparos correspondentes pode ser encontrados no gráfico acima/ao lado.

Vantagens dos Disjuntores Eletrônicos:

grafik-elektronische-absicherung_2000x2000px.jpg

Vantagens dos Disjuntores Eletrônicos

  • Desativação dos canais em caso de sobrecorrentes e curtos-circuitos – mesmo com longos comprimentos de cabo e condutores de bitolas pequenas – de forma precisa, rápida e repetidamente
  • Seletividade, especialmente com Disjuntores Eletrônicos com circuito limitador de corrente
  • Operação remota por meio de entrada e saída digitais
  • Comunicação rápida e confiável via protocolo I/O-Link, contato de sinal, sinal livre de potencial ou protocolo Manchester
  • Tamanho e largura práticos para instalação, por exemplo, oito canais de saída em apenas 42 mm (1.653 polegadas) que economizam mais do que 70% de espaço da instalação em comparação com os disjuntores convencionais
  • Corrente nominal atribuível a cada canal
  • Atende as exigências da EN 60204-1 para a desativação confiável de falhas de aterramento, após cinco segundos

Comunicação

Comunicação 1.0
Sinalização digital (S/P)

O disjuntor eletrônico pode ser reinicializado via sinal de controle digital. O DJE 787-2861 também pode ser ligado e desligado com um sinal de controle. Através de um sinal de saída digital indica o status do canal ou a soma dos canais para 787-166x DJEs. Para alguns dispositivos, este sinal é livre de potencial (P).

Comunicação 2.0
Protocolo Manchester (M)

O CLP transmite um padrão de pulso codificado para controlar a entrada S1. O DJE sincroniza a si mesmo automaticamente. O estado atual de todos os canais de saída é transmitido de volta simultaneamente através da saída de sinal S2. A mudança de borda é interpretada como "alta" ou "baixa". Para cada canal, tanto o status como os valores de tensão/corrente podem ser transmitidos individualmente.

Comunicação 3.0
IO-Link (I)

Para cada canal, tanto o status quanto os valores de tensão/corrente podem ser transmitidos individualmente através de uma interface IO-Link COM3. A corrente nominal de saída também pode ser configurada através desta interface se o interruptor rotativo do dispositivo for ajustado de acordo. A comunicação cíclica I/O-Link é muito mais rápida do que o protocolo Manchester.